III Encontro Nacional de Letras no Litoral Norte da Paraíba - ELLIN-PB

Submissão de trabalhos

    📚 MODELO DE ARQUIVO PARA PÔSTER 📚 



     📆 DATAS IMPORTANTES – III ELLIN 2024 (clique aqui) 📆



    🟢 ‼️ RESULTADO DAS AVALIAÇÕES (CLIQUE AQUI) ‼️🟢



    Precisa de alguma ajuda? Entre em contato com nosso suporte ao congressista: https://page.congresse.me/atendimento

    1. INFORMAÇÕES  GERAIS

    o   O III ELLIN-PB realizar-se-á no período de 08 a 10 de maio de 2024.
    o   A inscrição geral para o evento, para submissão de trabalhos em simpósios temáticos e para apresentação de pôsteres será realizada por meio deste site, nas datas estabelecidas no calendário do evento. 
    o   Cada inscrito poderá ter apenas dois trabalhos, como autor ou em coautoria.
    o   Cada trabalho poderá ter, no máximo, um autor e dois coautores. 
    o   Autor de trabalho individual ou de trabalho em coautoria só terá direito a certificado se estiver inscrito no evento.
     
     

    2. MODALIDADES DE PARTICIPAÇÃO

     
     
    Para inscrição COM APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS, há duas modalidades previstas:
     
    o   Comunicação em simpósio temático – para alunos de graduação em conjunto com o orientador, alunos de pós-graduação, professores, especialistas, mestres e doutores.
    o   Pôster – para alunos de graduação e graduados.
     

    Serão aceitos trabalhos para apresentação de pôster ou de comunicação individual resultantes de pesquisa teórica (bibliográfica) ou teórico-aplicada, que tenham relação com a temática do evento, nos simpósios temáticos listados a seguir:

     
    EIXO: LINGUÍSTICA TEÓRICA E APLICADA

     
    ST 1 – Estudos descritivos ou históricos em língua portuguesa
    Coordenadoras: Antonieta Buriti de Sousa Hosokawa (UFAC/UNIFAL), Edileide de Souza Godoi (UPE/UFPB), Roseane Batista Feitosa Nicolau (UFPB)

    A língua é um sistema vivo, em constante transformação e mudança, que precisa ser observada, descrita e historicizada. Para entender o uso da língua, bem como suas transformações e mudanças, são necessárias pesquisas e estudos descritivos ou históricos. Diante desse cenário, o principal objetivo deste Simpósio Temático é descrever como a língua portuguesa foi ou é usada, partindo da visão de que qualquer língua está sujeita a análises e a mudanças. Esses estudos descritivos ou históricos podem ser resultados de pesquisa empírica, como: entrevistas, gravações de conversas e análises de textos do cotidiano ou textos documentais, considerando o contexto de uso.

    ST 2 – Leitura e ensino na perspectiva do multiletramento
    Coordenadores: André Pedro da Silva (UFBA), Iara Ferreira de Melo Martins (UEPB), Carla Alecsandra de Melo Bonifácio (UFPB)

    O ST 2 busca reunir trabalhos de alunos de graduação, pós-graduação, professores e pesquisadores que investiguem, a partir de suas próprias experiências, práticas colaborativas de leitura na perspectiva do multiletramento com base em diversos gêneros textuais/discursivos na educação básica e no ensino superior. Para tanto, partimos do debate referente à leitura enquanto processo de coprodução de sentidos de textos e hipertextos, tendo em vista o uso intenso das novas tecnologias que mediam as relações dos sujeitos na sociedade. Assim, refletimos desde os pressupostos básicos sobre leitura até a perspectiva da leitura multissensorial que acontecem na pluritextualidade. O ato de ler/compreender sob esses vieses amplia e transforma as aulas de português em eventos de letramento social, tecnológico, dentre outros multiletramento.

    ST 3 – Escrita e oralidade: estudos descritivos ou aplicados ao ensino
    Coordenadores: Rose Maria Leite de Oliveira (UFCG), Erivaldo Pereira do Nascimento (UFPB)

    Este simpósio temático objetiva reunir trabalhos que discutam a escrita ou a oralidade, seja em uma perspectiva mais descritiva ou voltados para o ensino de língua. No que se refere aos estudos descritivos, o foco são investigações que descrevam ou problematizem a escrita ou a oralidade em diversas situações de uso da língua, a partir de diferentes perspectivas teóricas, tais como a Linguística de Texto, o Interacionismo, a Análise da Conversação, entre outras. Receberá também trabalhos que problematizem o contínuo oralidade – escrita (Marcuschi, 2010), em diversos contextos de letramento. No que se refere ao estudos aplicados ensino, esperam-se trabalhos focados da didatização da escrita ou da oralidade, de forma específica ou em um contínuo, na educação básica, no ensino superior ou no profissional, seja em uma perspectiva cognitivista (Passarelli, 2012; Santos, Riche e Teixeira, 2018), interacionista (Dolz at al, 2004; Gasparotto e Menegassi, 2016), dos estudos do letramento (Rojo, 2009; Soares, 2021), ou em outras perpectivas teóricas.

    ST 4 – Linguagens, discursos e práticas sociais
    Coordenadores: Eulália Leurquin (UFC), Laurênia Souto Sales (UFPB/UFC), Sílvio Luis da Silva (UFPB) 

    Este simpósio tem o propósito de reunir estudos que explorem as diversas formas de comunicação linguística manifestadas em situações concretas de uso da língua como produção material de valores, crenças e ideologias. Partindo do princípio de que tanto a língua quanto a linguagem são manifestações de sujeitos sociais revestidas das crenças e dos valores que os circundam, serão aceitos trabalhos oriundos de pesquisas que abordem perspectivas teóricas e metodológicas para o estudo do discurso, preferencialmente (mas não exclusivamente) da Análise de Discurso Francesa, Análise de Discurso Crítica e da Análise Dialógica do Discurso. Nesse entendimento, serão acolhidos também trabalhos que fazem intersecção com outros campos do saber, como a Linguística Aplicada, o Interacionismo Sociodiscursivo, entre outros.

    ST 5 – Linguística Cognitiva, construção de sentido e discursos de massas
    Coordenador: Rodrigo Slama Ribas (IFRN)

    Este Simpósio Temático se apresenta como espaço de reflexão e discussão crítica acerca das relações entre a Linguística Cognitiva (LC) e a construção de sentido em produtos das mais diversas práticas discursivas, sejam orais, escritas ou multimodais, difundidas às massas. Nesse cenário, são privilegiadas as questões teóricas desenvolvidas por Fillmore, 1982, 1985; Lakoff, 1987, 1995; Fauconnier, 1994, 1997; Fauconnier & Turner, 2002; passando por Langacker, 1987, 1991 e Goldberg, 1995, 2006. Isto posto, o ST, de forma ampla, abriga trabalhos das mais variadas vertentes da LC que se debrucem sobre os diversos mecanismos de construção de sentido dos discursos de massa, seja de ordem cultural, política ou jornalística.

    ST 6 – Línguas indígenas: culturas, histórias e territórios 
    Coordenadores: Carolina Coelho Aragon (DLPL/UFPB) e Pedro Lobo dos Santos (PPGE/UFPB) 

    Os povos indígenas estão distribuídos pelo território brasileiro de forma heterogênea, tanto em espaços urbanos quanto em Terras Indígenas. Em um período distante, muitos desses povos se dispersaram, ocupando largas dimensões territoriais. Esses movimentos populacionais no passado levaram a ocupação de áreas antes desconhecidas e a contatos com outros povos, culminando em trocas culturais como também linguísticas (Rodrigues 2000, 2007; Urban 1992, 1996; Lathrap 1970). Há povos que foram contatados há mais tempo, porém, há também os que ficaram por um longo período escondidos das frentes expansionistas, buscando formas de sobreviver aos massacres e às epidemias, como os povos de recente contato e em isolamento. Atualmente, o Estado brasileiro reconhece a existência de 114 registros de povos “isolados”, sendo 28 com presença confirmada (ISA 2018; OPI 2021). Dialogar sobre línguas indígenas é fomentar diversos saberes, incluindo a relação entre a Linguística, a História, a Educação, a Arqueologia e a Antropologia. Portanto, convidamos para este simpósio interessados em apresentar pesquisas voltadas às línguas indígenas (estudos teóricos e aplicados), bem como às suas relações com os aspectos socioculturais, territoriais e as políticas públicas brasileiras.

    ST 7 – Estudos sobre a Libras e suas interfaces com o ensino de pessoas ouvintes, surdas e surdocegas
    Coordenadores: Lucimar Bizio (IFSP), Elaine Reis Laureano (UFPB), Walquiria Nascimento da Silva (UFPB)

    O reconhecimento da Língua Brasileira de Sinais, pela Lei 10.436/2002, e a oferta de cursos no Ensino Superior propiciaram um avanço significativo de pesquisas desenvolvidas na área. O estudo de questões linguísticas e educacionais que evolvem o uso da língua de sinais constitui-se como uma prática carregada de descobertas ricas, principalmente, quando se pensa nas especificidades culturais dos diferentes públicos que a utilizam. O objetivo deste Simpósio é gerar um intercâmbio de experiências de pesquisas descritivas ou aplicadas que contemplem aspectos linguísticos da Libras sinalizada, tátil e/ou escrita e/ou reflitam/discutam sobre o ensino da Libras com pessoas ouvintes, surdas e/ou surdocegas, visto que contribuem para a consolidação de um vasto campo de conhecimento sobre cultura e identidade surda e surdocega.

    ST 8 – Tecnologias educacionais para o ensino de língua e literatura
    Coordenadores: João Wandemberg Gonçalves Maciel (UFPB) e Emanuel de Abreu Silva (UFPB) 

    As tecnologias digitais estão cada vez mais presentes no ensino de línguas (MEURER, 2021), trazendo novas possibilidades, vantagens e desafios para os professores (FERNANDES e SANTOS, 2019), tais como acesso a materiais autênticos, comunicação com falantes nativos, novos materiais didáticos, gameficação, personalização do aprendizado etc. Por outro lado, os a falta de infraestrutura, dificuldades na adaptação e atualização dos professores e desmotivação dos alunos são enfrentados, em salas de aula. Assim, este simpósio visa refletir sobre a distribuição igualitária de recursos, sobre seu uso produtivo e crítico (COSCARELLI e RIBEIRO, 2005), a superação da falta de investimentos etc. O objetivo é fomentar discussões sobre revisões de literatura, propostas didáticas, estudos em desenvolvimento e outras propostas que dialoguem com o tema proposto.

    ST 9 – Educação a distância no ensino de línguas
    Coordenadoras: Juliana Barboza D’Albuquerque (UFAC), Ruth Marcela Bown Cuello (UFPB), Ana Berenice Peres Martorelli (UFPB)

    Hoje é impossível falar em educação sem mencionar a educação à distância. O ensino à distância tornou-se uma modalidade de ensino flexível e inovadora que agrega valor ao sistema tradicional. Embora a EaD tenha avançado significativamente no último século, ainda existem dificuldades enfrentadas tanto por professores quanto por alunos nesta modalidade de aprendizagem. No entanto, o uso da tecnologia e a maior interatividade ajudaram a amenizar preconceitos e a tornar o ensino à distância uma parte socialmente construída e central do processo de aprendizagem. Nesse contexto, o simpósio tem como objetivo discutir os desafios do ensino de línguas estrangeiras em EaD, experiências que deram certo, estágio supervisionado em EaD, utilização de diferentes recursos em EaD, políticas linguísticas, entre outros temas relevantes.

    ST 10 – Formação docente: saberes e práticas
    Coordenadoras: Tatiana Fernandes Sant'ana (UEPB) e Luana Francisleyde P. de Farias (UFPB) 
     
    A formação de professores é hoje um tema de bastante repercussão, não só nas instituições de ensino, mas também nas mídias, na família, enfim, na sociedade como um todo. Cada vez mais, passa a ser vista como um processo contínuo e constante, construída ao longo da vida do indivíduo, seja como aluno, seja como professor (Tardif, [2002]2014). É pensando nisso esse ST se organiza em: centrar na formação docente, seja ela inicial ou continuada, que abranja relatos, pesquisas, extensões, ao contemplar programas de formação, como Residência Pedagógica, PIBID, experiências em Estágios Supervisionados, PROLICEN, atividade de extensão, dentre outros. Os aportes teórico-metodológicos a serem seguidos serão a Linguística Aplicada, a Clínica da Atividade e o Interacionismo Sociodiscursivo.  


    EIXO: LITERATURA

     
    ST 11 – Literatura e Ensino: propostas, reflexões e avaliações
    Coordenadores: João Paulo da Silva Fernandes (UNIVASF) e Daniela Maria Segabinazi (UFPB) 

    A literatura brasileira, se comparada a outras nacionalidades, é relativamente jovem, o que não significa inconsistência no que tange à produção estética desde os registros de informação à contemporaneidade. No contexto contemporâneo, busca-se investigar a relação da literatura com o ensino, inquietação ainda mais recente pelos pesquisadores, de modo que o simpósio recebe trabalhos com fundamentos teóricos que reverberem a prática docente com a literatura. Nesse sentido, a especificação do gênero literário, relatos de experiência, revisão de literatura, análises de obras, mediação de leituras em sala de aula, construção de materiais didáticos, entre outros diálogos, são caminhos possíveis para o letramento literário e formação de leitores, os quais corroborem para propostas, reflexões e avaliações da literatura e seu ensino.

    ST 12 – Estudos Clássicos - abordagens Interdisciplinares e relevância na contemporaneidade
    Coordenadoras: Michelle Bianca dos Santos Dantas (UFPB) e Prisciane Pinto Fabrício Ribeiro (UFPB).

    O Simpósio de Estudos Clássicos reunirá pesquisadores e estudantes para um encontro de diálogos e reflexões acerca dos estudos greco-latinos, a fim de enfocar as múltiplas abordagens de práticas tradutórias, dos estudos e do ensino das línguas, literaturas e cultura greco-romana, explorando a sua importância e relevância contemporânea numa perspectiva transversal e transdisciplinar para a constituição de novos saberes. Diante disso, este simpósio busca emergir as possíveis interseções que os estudos clássicos podem ter com outras áreas de conhecimento, estabelecendo uma ótica atualizada e multilateral sobre o patrimônio da Antiguidade.

    ST 13 – Poesia brasileira do século XX e XXI 
    Coordenadoras: Raira Costa Maia de Vasconcelos (UFPE) e Elaine Cristina Cintra (UFPB)  

    A poesia brasileira do século XX e XXI consta como uma das mais inventiva e relevante de nossa produção lírica, distinguindo-se em sua grande maioria pelo alto domínio da técnica e da arte poética, bem como pela ostensiva experimentação dos procedimentos formais que emoduraram o gênero. Esse simpósio pretende acolher trabalhos que pesquisam, sob um viés crítico,  questões textuais dessa poesia, como suas categorias teóricas, suas perspectivas semióticas, seus procedimentos poéticos, ou quaisquer aspecto que reivindicam as especificidades do discurso lírico sob um aspecto inventivo e original. Outrossim, são bem vindos trabalhos que repercutem as perspectivas historiográficas, as quais são sempre suscetíveis de atualização e revisão. 
     
    ST 14 - Teorias e críticas da narrativa e do insólito ficcional 
    Coordenadores: Amanda Brandão (UFRPE), João Batista Pereira (UFRPE) e Luciane Alves Santos (UFPB)

    Este Simpósio se propõe a discutir teorias, vertentes e críticas relacionadas ao fantástico e ao insólito ficcional. Ele acolhe trabalhos que visem explorar as transformações dessas expressões estéticas a partir do século XIX, a influência das tradições folclóricas e culturais nesse gênero literário na contemporaneidade, bem como em diferentes formas artísticas, como filmes, séries de televisão, HQ e romances gráficos. Também serão aceitas propostas em um espectro mais amplo, que contemplem atualizações de perspectivas teóricas e críticas no âmbito do fantástico e do insólito ficcional, seja em termos de análise de texto, seja no esteio da teoria, a exemplo do que propõem autores como Tzvetan Todorov, Jaime Alazraki, Irène Bessière, Remo Ceserani, Davi Roas, Rosemary Jackson, Rosalba Campra, entre outros.

    ST 15 - Literatura, feminismos e decolonialidades   
    Coordenadoras: Monaliza Rios Silva (UFAPE), Moama Lorena de Lacerda Marques (UFPB) e José Veranildo Lopes da Costa Junior (UFPB)

    A proposta do presente simpósio faz parte de “um esforço de desengajamento epistemológico e político em como produzimos conhecimento” (CURIEL, 2020, p.130); esforço este que, reconhecendo a distribuição desigual da valoração de saberes nas relações globais (Norte/Sul), opta por perspectivas que desestabilizam a manutenção da lógica do sistema-mundo moderno/colonial. Nesse sentido, acolherá pesquisas que realizem leituras das literaturas de autoria feminina, em diálogo ou não com outras produções culturais, a partir de teorias e metodologias feministas, especialmente aquelas oriundas dos feminismos decoloniais e que levem em consideração categorias como gênero, raça, classe, sexualidade, geopolítica, entre outras.

    ST 16 - Literatura e perspectivas contracoloniais
    Coordenadoras: Vanessa Bastos Lima (UERN) e Mylena de Lima Queiroz (UFPB)
     
    A história da literatura brasileira é marcada por apagamentos, formações de estereótipos e repetições de desigualdades de gênero, região, raça e classe. Na contramão, notamos resistências e “hackeamentos” dessas desigualdades, reminiscências do colonialismo. Interessa-nos aqui pensar como as perspectivas contracoloniais apontam para modos de semear saberes que contrariam a colonialidade e as suas desconexões. Neste simpósio temático, buscamos refletir sobre literaturas, em especial brasileiras, mas também de outros lugares, em confluência com pensadores como Muniz Sodré (2017), Leda Maria Martins (2021), Nego Bispo (2023) e Ailton Krenak (2023), os quais se debruçam sobre saberes e culturas “diversais” deste país - de forma a refletirmos sobre o legado de opressão e violência aos modos de vida e às culturas não eurocentradas.


    EIXO: LÍNGUAS ESTRANGEIRAS


    ST 17 – Estudos em língua, literatura e cultura em Inglês
    Coordenadores: Almir Anacleto de Araújo Gomes (UFCG), Sandra Maria Araújo Dias (UFPB) e Juliene Paiva de Araújo Osias (UFPB) 

    Este (ST) pretende promover discussões de pesquisas acadêmicas, concluídas ou em andamento, sobre estudos voltados para língua, literatura e/ou cultura em inglês. A partir de perspectivas teóricas e/ou metodológicas diversas, este ST busca reunir pesquisadores  professores universitários e da educação básica, estudantes de pós-graduação e graduação, para problematizar e discutir os seguintes aspectos: a) linguísticos como uso, ensino e aprendizagem da língua e as suas relações com as práticas sociais, culturais; b) literários, tendo em vista a produção literária em Língua Inglesa, as suas relações com determinações sociais e com diversas linguagens semióticas (cinema, teatro, pintura, dentre outras); c) culturais, considerando as questões interculturais que envolvem o ensino-aprendizagem de Língua Inglesa no cenário nacional.

    ST 18 – Perspectivas e desafios do ensino de língua espanhola
    Coordenadoras: Eneida Maria Gurgel de Araújo (UEPB) e Graziellen Gelli Pinheiro Lima (UFPB)  
     
     Este simpósio tem como propósito possibilitar a discussão e a reflexão sobre o processo de ensino-aprendizagem de língua espanhola (ELE, EFE) que incidam sobre a formação docente/discente no Brasil. Para orientar as propostas, consideram-se os seguintes pressupostos: a competência comunicativa no ensino de línguas estrangeiras, conceito que compreende o conhecimento das regras linguísticas e o conhecimento das regras do tipo social, cultural e psicológico que regem o uso da língua em determinados contextos sociais (Hymes, 1972). Inclui a subcompetencia gramatical, discursiva, sociolinguística, estratégica e sociocultural. Tendo em vista tais elementos, o viés teórico-metodológico que se pretende privilegiar é o da natureza discursiva. O objetivo geral é reunir pesquisas concluídas ou em andamento sobre tais temáticas e seus diversos desdobramentos. 

    o    Os resumos deverão ser submetidos em link específico, neste site.
    o    Os resumos devem conter, no mı́nimo, 200 e, no máximo, 300 palavras, e apresentar de modo claro, objetivos, pressupostos teóricos, metodologia e resultados ou previsão de resultados.
    o    Os resumos serão avaliados pela Comissão Científica. Com a aprovação do resumo, os autores estarão aptos a apresentar o trabalho, no entanto, isso somente se dará mediante a realização da inscrição no evento, com o respectivo pagamento da taxa de inscrição. 
    o    Os proponentes que tiverem resumos aprovados poderão submeter trabalho completo para publicação nos anais do evento. Essa submissão ocorrerá exclusivamente no prazo especificado na página do evento.
    o    Somente serão publicados os trabalhos que tiverem sido apresentados no evento, seguirem todas as normas especificadas na página e forem aprovados pela comissão científica, com avaliação por pares.
     
    OBSERVAÇÃO: Os simpósios nos quais não tiverem pelo menos cinco trabalhos aprovados, os trabalhos serão alocados em outro simpósio.
     

    Para inscrição SEM APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS, tem-se a modalidade:
     
    o   Ouvinte: Considera-se ouvinte o participante inscrito no III ELLIN-PB sem apresentação de trabalho. Os interessados devem se inscrever no site do evento, observando o prazo e valor da inscrição.
     
     

    3. SOBRE A INSCRIÇÃO EM MINICURSO

     
    Período: 21/03 a 31/03/2023
     
    o   A todas as modalidades de inscrição, é permitida a participação em minicurso, sem qualquer custo, observando a quantidade máxima de vagas ofertadas por cada ministrante. 
    o   As inscrições em minicursos ocorrerão no período posterior à submissão de trabalhos.
    o   A lista de minicursos ofertados estará disponível no site do evento até o dia 20/03/2024.
    o   Cada participante só poderá se inscrever em um único minicurso.
     

    4. DATAS IMPORTANTES

     
     ATIVIDADE / PERÍODO
     Submissão de trabalhos (pôster e comunicações em simpósio temático): 01 a 29/02/2024
     Divulgação dos trabalhos/resumos aprovados:20/03/2024  
     Divulgação da lista de minicursos: 20/03/2024  
     Inscrição com submissão de trabalho (pagamento): Primeira chamada - 21 a 31/03/2024; Segunda chamada - 01/04 a 15/04/2024  
     Inscrição como ouvinte: 21/03 a 02/05/2024  
     Inscrição em minicurso: 21/03 a 15/04/2024  
     Data limite para pagamento de inscrição: Com apresentação - 15/04/2024; Ouvinte - 02/05/2024  
     Divulgação do cronograma de apresentações: 02/05/2024  
     Envio do texto completo para publicação nos anais: 31/05/2024 a 16/06/2024  
     Resultado dos trabalhos completos aprovados: 01/08/2024  
     

    o    Os meios de pagamento das inscrições para participação no III ELLIN-PB serão divulgados no site do evento antes do início do período de inscrições.

     

    5. VALORES


     5.1 - Com apresentação de trabalho

     Alunos de graduação - 1ª Chamada: 60,00; 2ª Chamada: 80,00   
     Alunos de pós-graduação - 1ª Chamada: 80,00; 2ª Chamada: 100,00 
     Professores da Educação básica - 1ª Chamada: 80,00; 2ª Chamada: 100,00 
     Professores do Ensino superior e demais profissionais da Educação:1ª Chamada: 120,00; 2ª Chamada: 150,00
     
    5.2 - Ouvinte:
     Alunos de graduação: 40,00  
     Alunos de pós-graduação: 60,00
     Professores da Educação básica: 60,00
     Professores do Ensino superior e demais profissionais da Educação: 80,00