Seminário Desenvolvimento, Insustentabilidade E Sociobiodiversidade

Perguntas frequentes

Quanto custa para participar do SEDEINS?

O SEDEINS é 100% gratuito para sua participação online na hora de exibição das palestras. Basta realizar a sua inscrição, para participar e assistir todo o conteúdo do evento, sem qualquer tipo de cobrança. As palestras ficarão disponíveis para acesso até o início da programação do dia seguinte.

O Certificado de Participação vale como horas complementares na graduação?

Sim, você poderá utilizar o nosso Certificado de Participação para comprovar as horas complementares, pois o certificado é completo, possui: seu nome completo, nome do evento, CNPJ, realização, carga horária, data, programação (no verso) e assinatura.

Como funciona o SEDEINS?

O congresso funciona no formato 100% ONLINE, isto é, você poderá assistir de qualquer lugar, basta um computador, tablet ou smartphone com acesso a internet. No dia do congresso nós enviaremos o link da sala de transmissão das palestras para o email utilizado no cadastro, para que você possa participar!

Quando e onde posso acessar o meu Certificado ou Acesso Premium?

A emissão do Certificado e conteúdos do Acesso Premium estarão disponíveis um dia após o evento, na nossa plataforma exclusiva para membros, todos os detalhes serão enviados por e-mail, sendo que o acesso é ficará disponível por 6 meses da data que finaliza o evento.

O SEDEINS terá submissão de artigos ou resumos?

Não haverá apresentação de trabalhos.

Os resumos aprovados terão certificado e ISBN?

Não haverá apresentação de trabalhos.

Tem certificado de participação?

Tem sim, para isso, é necessário participar de 50% da programação.

Não consigo assistir as palestras na hora que acontecem. Tem outro horário disponível?

Sim, as palestras acontecem no horário marcado, mas ficam disponíveis para acesso gratuito até o início do outro dia do congresso. Sendo assim, você terá mais tempo para ver e rever todo o conteúdo e não perder nada! O SEDEINS está disponibilizando também no canal do Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, no YouTube.